Genesis

Jornada nas Estrelas: Aspirando em Direção ao Outro - Parte 5 Próximo círculo completo

Início pdf share

Enquanto isso, as civilizações dos quadrantes Alfa e Beta formaram uma vasta aliança – menos os cardassianos, que se submeteram ao Domínio, e os recém-apresentados Breen, que unem forças, aos pares, com o Domínio. A Federação e o Império Klingon superam uma crise inicial causada por um infiltrado de changeling e finalmente deixam de lado suas diferenças para sempre. Worf, ex-chefe de segurança da empresa, é transferido a bordo do Deep Space Nine como contato klingon e especialista em cultura klingon. No início, os romulanos precisam convencer-se da ameaça do Domínio, mas acabam se unindo à Aliança. Tendo em mente que, em nossa interpretação, todas essas espécies representam traços e aspectos internos, essa situação marca um ponto culminante da crise interna que está para acontecer: os referidos traços e aspectos internos – que antes coexistiam com pouca ou nenhuma interação ou mesmo consciência um do outro – agora se fundiram em duas facções opostas.

Os ferengi – cuja cultura é totalmente baseada na ganância e que em A Nova Geração sempre eram retratados como mafiosos que constantemente superestimam sua própria inteligência – agora são surpreendentemente definidos como uma espécie culturalmente rica: eles acreditam no Grande Fluxo Material (tudo o que é difícil de ser encontrado em algum lugar está bastante disponível em outro: o Grande Fluxo fornece equilíbrio, e navegar sabiamente levará à prosperidade) e sua "Bíblia" é composta por suas Regras Sagradas de Aquisição – raramente a adoração a Mamon é retratada com tanto humor e profundidade ao mesmo tempo.

Explorando implacavelmente seu irmão simplório Rom e seu sobrinho Nog, o ferengi Quark gerencia o bar no passeio do Deep Space Nine. Seu envolvimento constante em transações ilegais causa uma luta igualmente constante entre ele e Odo, o policial-chefe da estação espacial. Nog, sobrinho de Quark, faz amizade com o filho de Benjamin Sisko, Jake. Essa amizade permite que ele supere os estereótipos e limitações culturais tão profundamente a ponto de se tornar o primeiro ferengi a ingressar na Academia da Frota Estelar. Agora, essa espécie, aspecto interior também já está integrada.

No começo, no entanto, a aliança parece estar irremediavelmente superada em número e ultrapassada pelo Domínio. Cada vez mais, o Domínio expande sua supremacia sobre o Quadrante Alfa, empurrando a aliança cada vez mais para trás na defesa. Toda a galáxia está prestes a cair nas mãos do Domínio, sendo que a cada dia mais e mais navios vão chegando pelo buraco de minhoca. O Deep Space Nine é capturado. Em um ato de desespero, a tripulação coloca uma vasta gama de minas autorreplicantes no buraco de minhoca antes de esvaziar a estação espacial, bloquear a passagem e interromper o incessante reabastecimento do Domínio.

Rom descobre seu talento como engenheiro, transformando-se em um mestre da guerra de guerrilhas. Enquanto isso, de volta à frente do ferengi, o Grande Nagus (líder supremo) Zek entra em um relacionamento com a mãe de Quark e Rom, Ishka. Logo depois, ele se aposenta, para grande surpresa de Quark, a favor de Rom – não sem antes assinar uma legislação que transforma a antiga oligarquia capitalista em um paraíso para trabalhadores românticos. Assim, a ganância foi transformada em benevolência (se exagerarmos no humor), juntando-se harmoniosamente ao cânon de aspectos internos transformados e integrados.

Benjamin Sisko é promovido ao posto de capitão, passando de comandante da estação espacial para líder de alto escalão da Aliança. Ele recebe o comando dos U.S.S. Defiant, um protótipo fortemente armado, equipado com um dispositivo de camuflagem romulano. Por fim, uma nave espacial – um veículo da mente consciente – assume um papel importante nesta série. O fato do Defiant estar equipado com um dispositivo de camuflagem significa duas coisas: por um lado, mostra a confiança e a nova cooperação com os romulanos (a genuína integração do que eles representam no Todo). Em segundo lugar, está em clara violação de um tratado no qual a Federação renunciou unilateralmente ao desenvolvimento e uso da tecnologia de camuflagem. Assim como o Dr. Bashir e o Chefe O’Brian adquiriram o antídoto para Odo anteriormente, essa é uma evidência de que os regulamentos obsoletos da lei da letra foram descartados em favor da autoconfiança pragmática.

Ao se aliar à Casa de Martok, Worf adquire um novo nome. Depois de vários feitos de heroísmo, ele finalmente recupera sua honra matando o chanceler corrupto do império klingon, conquistando o título – o qual ele repassa imediatamente para Martok, o honorável general em cuja casa ele ingressou.

Worf e Martok nos lembram o tropo [cada um dos argumentos por meio dos quais os filósofos céticos da Antiguidade procuravam demonstrar a inutilidade da busca pela verdade] do "nobre selvagem". Eles transformarão o império klingon, fazendo-o sair de seu estado arcaico, parcialmente bárbaro conduzindo-o a uma era de iluminação. O próprio Worf se torna o embaixador do império klingon na Federação. Vindo dos recantos animalescos do eu interior, tendo sido elevado e integrado à mente consciente há muito tempo, ele agora volta à sua origem, trazendo de volta o refinamento e a sofisticação que experimentou como mediador. Assim, Worf consuma sua própria Jornada do Herói.

 

Heróis e Anti-Heróis

Nós cobrimos extensivamente a Jornada do Herói, reconhecendo a história abrangente da saga Jornada nas Estrelas, como um verdadeiro "bolo de camadas" de Jornadas do Herói estreitamente interligadas. O programa de TV Deep Space Nine se encaixa perfeitamente nesse continuum. Mas raramente encontramos a contrapartida indispensável – vamos chamá-la de "A História do Vilão" contada de maneira comovente e com tantos detalhes quanto exemplificado por Gul Dukat.

Primeiro encontramos Gul Dukat ("Gul" é o seu posto, "Dukat" o nome dele) no final de A Nova Geração, supervisionando a ocupação cardassiana do planeta Bajor. Ele é descrito como um déspota implacável e cínico, consistentemente retratado como o "típico cardassiano", um antagonista vilão desde o início. Após o término da ocupação, ele continua retornando como um adversário malicioso e ardiloso, disposto a se vingar por sua perda de poder. Ao mesmo tempo, sua personalidade tem tantas camadas e é retratada de forma tão ambígua que ele rapidamente evolui de um vilão um tanto caricatural para um anti-herói complexo. 

Agora várias coisas acontecem simultaneamente. Quando a filha meio-Bajoran de Dukat (pois sua existência sugeria sua complexidade) morre tragicamente, ele perde a cabeça. Ao libertar os pah wraiths (os adversários igualmente imateriais dos Profetas que foram banidos magicamente por milênios), ele é dominado por eles, transformando-se em um vilão de dimensões luciferianas. Agora ele é um oponente igual a Benjamin Sisko, o Emissário dos Profetas. Devido à iniciativa de Dukat, o Domínio consegue desarmar as minas que bloqueiam o buraco de minhoca.

Por outro lado, no quadrante Gamma, uma frota de invasão gigante está esperando para entrar no quadrante Alpha e selar o destino da aliança. Sendo a única nave estelar ao alcance, o Defiant entra no buraco de minhoca para posicionar-se, mas sem esperanças de resultado. Benjamin Sisko pede ajuda aos Profetas – e seu pedido é ouvido. Embora a existência de seres físicos vinculados ao tempo linear considere os Profetas imateriais estranhos e incompreensíveis, eles se juntam aos defensores e aniquilam a frota invasora do Domínio, virando a maré.

O segundo comandante de Dukat, Damar, começa como um mero soldado sem grande relevância. Frustrado pelo domínio totalitário do Domínio, ele se entrega ao álcool. Mais tarde, ele recupera sua dignidade e se torna o líder da resistência cardassiana contra o Domínio. Quando ele morre mártir, o povo cardassiano se levanta. No auge da batalha decisiva, a frota cardassiana muda de lado, garantindo a derrota para as forças restantes de Domínio e Breen.

Ao mesmo tempo, Benjamin Sisko e Gul Dukat se encontram para o seu encontro final nas Cavernas do Fogo, em Bajor, o antigo local de prisão dos pah wraiths. Aparentemente, Benjamin Sisko se sacrifica (outro elemento recorrente da Jornada do Herói) para derrotar Gul Dukat e banir os pah wraiths novamente. A fundadora que comandava a campanha Domínio no quadrante Alpha (já devastada pela doença) ordena o genocídio do povo cardassiano. Sua ordem é parcialmente acionada antes que o centro de comando seja invadido.

Odo, que foi curado da infecção, cria um vínculo com a Fundadora, curando-a e finalmente convencendo-a da atitude pacífica da Federação. Odo retorna com ela para o mundo dos Fundadores, onde ele finalmente se une ao Grande Elo (a fusão sem forma compartilhada por todos os fundadores em seu estado natural), curando toda a sua espécie com esse processo.

Essa vitória tríplice é coroada pela paz. Das ruínas da antiga ditadura militar, surgirá uma Cardássia completamente renovada para ocupar seu lugar entre os povos / os aspectos amadurecidos da Via Láctea / o microcosmo).

Agora, toda a Via Láctea é descoberta, acessada e pacificada. A Jornada do Herói está completa e a história é contada na íntegra. Durante inúmeras aventuras, a mente se tornou completa, na medida do possível neste mundo. Estamos prendendo a respiração, à espera de testemunhar como essa história continua em outras dimensões.

 

Três grandes etapas

Vamos terminar com um resumo das três grandes etapas da Jornada do Herói: Partida, Iniciação e Triunfo, como foi exemplificado em Jornada nas Estrelas: A Nova Geração.

Conhecemos a nova nave estelar Enterprise e sua jovem tripulação quando o experiente capitão Picard assume o comando da nave que acaba de ser lançada. Em sua viagem inaugural, a Enterprise é interceptada por Q, que força a tripulação a provar a ele que a humanidade amadureceu e se elevou acima de seu egocentrismo animal. Eles lidam bem com isso – e Q libera a Enterprise e sua equipe, ameaçando monitorá-los de perto e colocá-los à prova novamente no futuro. Esta é a primeira etapa: partida e vitória inicial.

O segundo estágio – Iniciação e Prova – é marcado pelo conflito de Borg, também causado por Q. O resgate do capitão (ou seja, o ego e a vontade) do engano destrutivo por poderosas forças adversárias é planejado pelo Primeiro Oficial Will Riker (bravura, ação de intervenção) e o Segundo Oficial Data (inteligência, conhecimento) que conseguem a cooperação de todos os outros.

O terceiro estágio – Triunfo e Retorno – também é iniciado por Q. Desta vez, a equipe precisa coordenar seus esforços no presente, futuro e passado simultaneamente para evitar uma perturbação no espaço-tempo que, de outra forma, destruiria o universo inteiro. Esta é a prova final. Q está satisfeito e deixa a Enterprise e sua equipe. Ele volta mais tarde, de tempos em tempos, mas como um personagem incômodo, mas inofensivo e de boa índole, e não como um adversário cruel. Nossos heróis até entram no continuum Q ruo ao final da saga, ajudando a pacificar o coletivo e a libertá-lo de sua estagnação crítica. Assim, até o antagonista existencial preso à negação eterna é pacificado e integrado, na medida do possível.

A Nova Geração termina com uma nota emocionante quando o sempre inacessível Capitão Picard finalmente se junta à mesa de pôquer dos oficiais seniores pela primeira vez. A mente como um todo mostra sua unidade e força recém-conquistadas. E agora as coisas podem se tornar divertidas – afinal, ainda há algo a ser ganho.

E a Enterprise continua sua missão de ir ousadamente até onde nenhum homem foi antes.

 

Início pdf share